Empresários reagem a estratégia do Governo para São Vicente: um novo paradigma, um novo olhar ou mais conversa fiada?

18/02/2013 22:57 - Modificado em 18/02/2013 22:57

A dose especial de atenção que o Governo está a dedicar à ilha de São Vicente representa, para alguns empresários, um novo paradigma, um novo olhar para este activo económico através de políticas públicas concretas a serem aplicadas nos próximos tempos em SV.

 

Querem agora ter acesso a um maior conhecimento da estratégia que está a ser tomada, ter maior poder de decisão para que haja, no fundo, uma maior coordenação entre sector público e privado para que, este último, saiba melhor como se posicionar. Estes foram os propósitos enunciados na manhã desta segunda-feira pelo presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Barlavento, Belarmino Lucas, porta-voz dos empresários são vicentinos na reunião do conselho de ministros especializado para os Assuntos Económicos, Inovação e Competitividade (CME-AEIC) que se realiza desde o dia 17 em São Vicente.

 

“Têm faltado na ilha de São Vicente políticas coordenadas” para que os empresários tomem conhecimento de “quais os caminhos que querem trilhar” e para que desta forma “o sector privado saiba como se posicionar”, diz o presidente da CCIB, Belarmino Lucas. O porta-voz enfatiza que “existe muito empreendedorismo nesta ilha, muita dinâmica” mas um dos entraves que têm sentido refere-se ao financiamento do sector privado. O primeiro-ministro José Maria Neves, precisa que a questão do financiamento é de facto um problema em Cabo Verde e coloca a questão: “como é que o Estado e o sector privado podem trabalhar em conjunto para resolverem a questão do financiamento em Cabo Verde?”.

 

Acções concretas do CME-AEIC

 

Desta reunião do conselho de ministros especializado para os Assuntos Económicos, Inovação e Competitividade resultou a assinatura do Acordo de estabelecimento entre o Estado de Cabo Verde e a Islands Seafood, Lta – Indústria Transformadora de Pescado e assinatura do contrato de concessão do terreno para a implementação do projecto Island Seafood. Sobre este projecto e de acordo com a agenda, só serão conhecidos os detalhes do mesmo às 19 horas de hoje.

 

A CME-AEIC tem previstas ainda uma série de actividades até ao seu encerramento amanhã, de que destacamos a cerimónia de inauguração do Centro de Tráfego Marítimo na Rotxinha, o lançamento da primeira pedra para a ampliação do terrapleno e construção do acesso norte do Porto Grande, o lançamento da obra para a construção do complexo de frio e ainda o lançamento da primeira pedra no âmbito do programa Casa para Todos em Ribeira de Craquinha e Quinta de Santana.

 

Depois da muito falada excessiva centralização de todo o tipo de actividades económicas e poder decisório na capital do país, os empresários são vicentinos começam assim a sentir uma aproximação mais concreta à ilha por parte do Governo com medidas e acções concretas das quais querem estar plenamente envolvidos.

 

  1. Carlos Tavares

    Qualquer titulo de uma noticia ou outra coisa assim por diante carece de originalidade do tema desenvolvido, neste caso em epigrafe não corresponde nem de perto nem de longe a veracidade do tema, simplesmente padece de má intenção e de um conflito desnecessario de pessoas de má fé uma tentativa de desacreditar as boas intenções do Governo.
    Por favor nao disvirtuamos as coisas boas

  2. Jovem de Mindelo

    Depois de tanto bláblá, cá vem o Sr. 1º Ministro a Mindelo tentar corrigir tudo o que disse. Sim Sr. esta de PARABÉNS por esta correcção, esperamos nos Jovens de Mindelo que tudo isto e VERDADE porque sim não, eu lhe digo, Não ganha as próximas eleição cá em Mindelo, apesar do Sr. já ter perdido. Mindelo Merece Muito +.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.