Efeitos prováveis da redução do índice de agitação na Praia da Laginha

18/02/2013 22:32 - Modificado em 18/02/2013 22:32

i)Redução da biodiversidade marinha no local

Sabendo que a biodiversidade marinha no local é mantida devido ao hidrodinamismo que faz constantemente a renovação da água, se ocorrer uma diminuição na agitação das águas, muitas espécies poderão desaparecer da Laginha, ou então seguir o mesmo caminho do Conus matiotae.

ii) Redução da vida marinha

A menor oxigenação das águas provocará uma diminuição na vida marinha. Sendo um berçário para muitas espécies muito exploradas comercialmente, tal como o olho largo, irá ter implicações no sustento das muitas famílias que vivem da pesca.

iii) Aumento de incidências de doenças transmitidas através da água do mar ou da areia

Para além dos efeitos ecológicos devastadores, não se pode esquecer do efeito que a obra terá na saúde dos utilizadores da praia. A praia é uma das mais frequentadas de São Vicente e a menor renovação da água acarretará aumento da incidência de doenças transmitidas através

 

 

da água do mar, e a redução das ondas implicará uma menor lavagem das areias da praia, aumentando também as doenças transmitidas através da areia. Note-se que no Verão, altura do ano em que a praia é mais frequentada, têm-se verificado casos de banhistas com doenças de pele, contraídas na Laginha.

iv) Redução das ondas, na zona de corais atrás da ELECTRA

Também os praticantes de Body board (note-se que um Mindelense, o Jason Mascarenhas, já foi campeão de África) e surf, poderão ser seriamente afetados caso isso signifique uma redução das ondas, na zona de corais atrás da ELECTRA.

v)Diminuição da qualidade da água potável produzida pela ELECTRA

Sabendo que a ELECTRA possui duas alimentações de água, localizadas entre a CABNAVE e a Laginha, uma no mar, a uns 2-3 metros de profundidade, e outra, um furo de 25 metros de profundidade, localizada a cerca de 3 metros do mar, e que o sistema de dessalinização, que funciona a baixas temperaturas, filtra películas superiores a 5 μm (reforçado com um sistema de coagulação), a redução do índice de agitação aumentará o grau de poluentes e o risco de contaminação no local da tomada de água da Electra (situada em local relativamente abrigado do vento e das correntes, em princípio tem um menor risco de contaminação por derrames provenientes do Porto Grande) o que poderá eventualmente, acarretar sérios riscos para grande parte da população que bebe essa água. Note-se que a ELECTRA desinfeta a água distribuída por cloragem com hipoclorito de cálcio11, e realiza controlos laboratoriais de parâmetros que indicam risco de contaminação12 e o carácter agressivo e incrustante da água [Electra, 2010]. Questionamos é se os testes utilizados serão muito sensíveis a metais pesados e hidrocarbonetos.Não devemos esquecer também que o Porto Grande é um dos mais importantes clientes de água potável, consumindo de 100-200m3 por navio [Pereira, Marina,2005].

11 Procurando ter como limites de cloro livre a concentração de 0,3mg/l à saída dos reservatórios e 0,1mg/l na rede de distribuição.

12 Cloro residual, sólidos totais dissolvidos, nitritos, nitratos, azoto amoniacal, turvação, contagem de microrganismos totais a 37º e contagem de coliformes totais e fecais.

13 No estudo de impacto ambiental do Parque eólico da Cabeólica em S.Vicente não consideraram a multiplicidade de espécies que ocorrem apenas após as chuvas.

7. Efeitos do alargamento do areal da Praia e da construção do esporão a Norte da Laginha

É imprescindível que se faça um estudo de impacto ambiental com um bom nível de precisão e detalhe, não se esquecendo de avaliar as espécies existentes no local e a eventual sazonalidade da sua ocorrência13. Contudo, podemos adiantar alguns dos prováveis efeitos:

i)Aniquilamento de parte significativa da comunidade coralina

A comunidade que se estende paralelamente à praia e a pouca distância do areal, será totalmente soterrada e aniquilada. Será um autêntico crime contra a biodiversidade.

ii)Diminuição da profundidade do arrastadouro da Cabnave e soterramento de uma das tomadas de água da Electra.

iii) Aumento de incidências de doenças transmitidas através da areia

Aumentando a distância do areal de mais 60 metros, será muito difícil que as ondas consigam chegar a todo o areal, impedindo assim que as areias sejam lavadas.

iv)Diminuição da segurança para banhistas e necessidade de colocar mais nadadores salvadores e luzes na praia

O aumento da distância do areal fará com que o mar fique mais distante do passeio pedonal diminuindo a segurança dos banhistas. Assim, será necessário colocar mais nadadores

 

  1. marinheiro

    para que as pessoas posssam dar a sua opinião sobre o assunto os dados aqui lancados carecem de credibilidade ou seja quem os lançou? a pessoa ou pessoas estão habilitadas para dar essa opinião? se sim, porque não assumem identificando. ou é apenas mandar bocas e lançar confusão? acho que a questão é seria e necessita ser esclarecida por quem entende do assunto.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.