Atentado no Paquistão mata 81 pessoas

17/02/2013 21:23 - Modificado em 17/02/2013 21:23
| Comentários fechados em Atentado no Paquistão mata 81 pessoas

Pelo menos 81 pessoas morreram no Paquistão na sequência de um atentado à bomba contra uma comunidade xiita. O número de vítimas mortais ainda poderá aumentar, já que o incidente fez também cerca de 200 feridos.

 

Entre os feridos, há pelo menos 20 em estado considerado muito grave, avança a Reuters. Um dos responsáveis da polícia de Hazara, onde ocorreu o atentado, Wazir Khan Nasir, disse que o engenho estava preso a um veículo e que explodiu junto a um mercado local. A polícia local adiantou à AFP que a bomba que explodiu no sudoeste do país, perto de Quetta, capital da província do Baluchistão, foi accionada à distância e atingiu uma zona do território onde os xiitas estão em maioria e que é especialmente rica em combustíveis.

 

O governador da província do Baluchistão, em reacção à BBC, acusou os serviços secretos do país de terem sido incapazes de manter a paz no país, ao continuarem a não prever este tipo de atentados. Nawab Zulfikar Magsi considerou mesmo que os agentes ou estão “demasiado assustados ou demasiado alheados” do que se está a passar. Entretanto, o Presidente Asif Ali Zardari já falou por telefone com Magsi, apelando a esforços concertados para evitar situações como esta.

 

Aliás, os atentados contra estes muçulmanos que estão em minoria no país têm-se multiplicado, de tal forma que após o atentado várias pessoas encheram as ruas em revolta contra as autoridades policiais, acusando-as de não proteger a população. Sayed Qamar Haider Zaidi, porta-voz dos habitantes xiitas, citado pelas agências noticiosas, condenou a falta de acção da polícia nesta região e decretou três dias de luto contra um acto que atribui ao Governo paquistanês.

 

O chefe da polícia de Quetta, Zubair Mehmood, afirmou também que se suspeita que ainda existam várias vítimas sob os escombros, visto que a bomba provocou danos materiais significativos.

 

Ao todo, segundo a organização não governamental Human Rights Watch, no último ano foram mais de 400 os xiitas mortos no Paquistão, na maioria dos casos na sequência de atentados com bombas, sendo que no país a maioria dos habitantes (80%, em 180 milhões) são sunitas. Muitos dos ataques acontecem sobretudo na zona que faz fronteira entre o Irão e o Afeganistão. Só no último mês morreram 200 pessoas em Quetta devido a atentados.

 

 

 

publico.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.