Pânico com prostitutas

6/05/2012 22:49 - Modificado em 6/05/2012 22:49

A polémica causada pela detenção de 16 prostitutas, muitas delas de países de Leste, infectadas com o vírus da sida, e posterior divulgação das suas fotos pela polícia grega, não só roubou protagonismo à jornada de reflexão eleitoral como ainda provocou a corrida aos hospitais de mais de mil clientes em pânico.

Desde o dia 29 de Abril, data em que foi divulgada a primeira foto, perto de mil homens solicitaram já o teste da sida e metade está em tratamento profiláctico da transmissão do VIH.

Perante a divulgação das fotos, o repúdio dos cibernautas não se fez esperar. E, na sexta–feira, centenas de pessoas protestaram em Atenas contra o que consideram ser “uma vergonhosa violação dos Direitos Humanos, da confidencialidade médica e uma acção de estigmatização sem precedentes”. A polícia responde às acusações com uma única alegação: “Proteger a sociedade.”

  1. Africa

    E mesmo assim, elas sabiam que tinham a doença e continuaram a praticar, são criminosas. A única forma de proteger a sociedade é divulgar as fotografias para que as pessoas que tiveram contacto com elas possam tomar as devidas precauções para não alastrar o SIDA .

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.