Convenção autárquica do MpD homenageia Isaura Gomes

5/05/2012 03:56 - Modificado em 5/05/2012 03:56

O MPD reuniu na III Convenção autárquica do partido para “passar em revista a estratégias” para os próximos embates eleitorais. Na Academia de Musica Jota Monte juntara-se lideres, os candidatos, convidados e militantes. O vice-presidente do partido e coordenador da convenção explicou que estavam aí para discutir o pacto político “um documento importante”, mas, também, para analisar as estratégias e “delinear os melhores programas e os melhores projectos” para as próximas eleições. Santos referiu que a ilha foi escolhida porque é um ilha martirizada pelo governo “conseguiu martirizar e  por isso é preciso pôr São Vicente na agenda nacional e fazer mais investimentos”.

Com os olhos fitos nas eleições o partido pretende preparar para esses embates. Como afirmou Jorge Santos esta convenção é para dar início “a uma caminhada que vai terminar no dia 1 Julho com a vitória ” nas eleições autárquicas. Essa confiança foi reiterada pelo anfitrião, o presidente da Câmara de São Vicente, Augusto Neves, baseado no desempenho que os autarcas ventoinhas vêm desenvolvendo.

O presidente do partido, Carlos Veiga, falou de última etapa para as eleições de 2012. Veiga classifica os resultados dessas eleições como cruciais para o país a fim de criar um balanço governamental. E defende a regionalização e mais “poder e recursos” as autarquias.

O líder das ventoinhas prevê uma “grande vitória ” no dia 1 de Julho. E avança que o objectivo é manter todas as câmaras ganhas ou apoiadas pelo MPD nas últimas eleições autárquicas. O líder quer mais: ganhar mais Câmaras “mesmo onde nunca ganharam até agora”. Mas alerta que ainda nada está ganha e reconhece a “existência de candidatos fortes”. E alerta para que o partido não “entre em euforias perigosas ou relaxar antes do tempo”, porque a “hora é de trabalho, entrega, participação, disponibilidade, determinação, empenho e combate politico”.

Homenagem a Zau

O primeiro dia da convenção serviu também para homenagear a ex-edil de São Vicente, Isaura Gomes. O partido ofereceu um diploma de mérito “pelos serviços prestados a Cabo Verde e a Vicente”. Todos os que usaram da palavra durante a convenção expressaram palavras de apreço a Isaura Gomes.

Para Jorge Santos ela sempre foi uma dirigente do MPD que soube trazer uma vasta energia, uma vivacidade e um positivismo que contagiou o partido. “É uma senhora que soube promover os valores da democracia e da liberdade”, reiterou Santos. Carlos Veiga falou de Zau como uma mulher que procurou valorizar a sua ilha e o trabalho da mulher cabo-verdiana.

Hoje afastada da cena politica Zau garante que apesar de não estar nessa frente ela vai estar em outras frentes de luta.

  1. Uma homenagem a “juste titre” dado aos méritos da nossa Zau que sempre obrou por uma causa justa, plena de boas intenções em defesa sobretudo do social na sua Ilha
    de Monte Cara. Embora encontrando-se muitas vezes “devant les faits accomplis” da contraditória de um governo central hermético e anti-democrático que nada compreende do histórico e actual da vida São Vicentina, ou melhor das Ilhas do Noroeste de Cabo Verde. Á Zau a amiga, a mulher, a politica competente e outras coisas mais SARAVAHH

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.