Prisão preventiva para cinco jovens que atacaram funcionário da PJ com pedras

1/02/2013 23:50 - Modificado em 1/02/2013 23:50

O Tribunal da Comarca de São Vicente teve mão pesada e aplicou prisão preventiva a cinco indivíduos que atacaram um funcionário do departamento da Polícia Judiciária na Rotunda de Ribeira Bote, quando este tentou impedir um “caçubody”. De realçar que um menor foi entregue ao Juízo Cível e que as autoridades criminais procuram mais dois suspeitos.

Nesta sexta-feira, o 1º Juízo Crime procedeu ao interrogatório de cinco jovens da zona de Ilha de Madeira detidos pela PJ por envolvimento num caso de agressão e roubo a um técnico auxiliar da polícia científica. Cesár Silva foi comprar uma sanduíche numa lanchonete ambulante na Rotunda da Ribeira e apercebeu que um grupo da qual fazia parte os detidos estavam a assaltar um homem.

O funcionário da PJ acabou por interceptar um dos intervenientes e quando estava a imobilizá-lo para chamar a polícia, os restantes gatunos agrediram-no com pedras na cabeça. César ficou inconsciente e ao cair ao chão, os ladrões aproveitaram-se da situação para lhe agredir com pedras e pontapés. Na sequência do ataque, os jovens com idades entre os 15 e 23 anos roubaram-lhe a sua carteira e a arma de serviço.

 

Devido aos ferimentos causados pelas agressões, o técnico da PJ sencontra hospitalizado nos Serviços de Cirurgia do HBS. Por seu lado, cinco jovens que participaram do ataque foram encaminhados para a Cadeia de Ribeirinha. O magistrado aplicou-lhes a prisão preventiva como medida de cocção por considerar que tiveram uma conduta grave, que não permitia deixa-los em liberdade.

 

Atitude do menor

 

Por sua vez, o adolescente de 15 anos detido pela polícia científica por envolvimento no caso foi entregue ao Juízo Cível. Na segunda-feira, 4 de Fevereiro, o menor será interrogado sobre a sua participação no caso para que o juiz aplique uma medida tutelar sócio-educativa. Este online apurou que se o magistrado entender que o adolescente teve uma conduta grave poderá ordenar a sua condução para Centro Sócio-Educativo Orlando Pantera, na ilha de Santiago.

De realçar que o Tribunal da Comarca de São Vicente emitiu um mandado judicial para que as autoridades criminais detenham dois indivíduos suspeitos de participação no ataque. Segundo o que apuramos a PJ está a realizar diligências para proceder essas detenções e apresentar os sujeitos às instâncias judicias para aplicação de uma medida de coacção.

  1. HUMBERTO

    Ou ele tem 15 anos ou não tem que ir para cadeia e ser dado o tratamento que ele merece.

  2. Eduardo Oliveira

    As ofensas a agentes da Lei deviam ser punidas a dobrar. Sejam de que ramo foremestes funcionàrios têm a obrigação de aplicar a ordem e proteger a população; logo, qualquer ataque que vier (se não for de foro pessoal) é ofensa a autoridade e isso não pode ser perdoado pois cai-se na anarquia e no desagregamento geral.

  3. Gent de Soncent

    Solução simples…pena de morte para esses terroristas. Mas tem k ser uma morte violenta para servirem de lição…morte a pedrada. Quem com ferro fere, com ferro será ferido.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.