Quase todos contra a pretensão de Mário Lucio

1/02/2013 00:51 - Modificado em 1/02/2013 00:51

Os leitores do Notícias do Norte não ficaram agradados com a ideia do ministro da Cultura, Mário Lúcio em levar os Mandingas da Ribeira Bote para o Carnaval da Praia. A maior parte das pessoas que comentou a notícia publicada neste online censurou a intenção do ministro e lançou duras críticas a Mário Lúcio. De realçar que a matéria em questão assumiu a liderança do ranking dos mais comentados no Notícias do Norte.

 

O grupo Mandingas da Ribeira Bote recusou uma proposta do ministro da Cultura, Mário Lúcio para desfilar na cidade da Praia durante cerca de um mês o que implicaria a ausência dos Mandigas no Carnaval mindelense 2013. Segundo o grupo, a rejeição da proposta deveu-se ao respeito pela cultura de São Vicente e ao apoio recebido pelos são vicentinos.

Mas a verdade é que o convite de Mário Lúcio gerou uma onda de comentários por parte dos leitores do Notícias do Norte. A opinião dos internautas diverge, porque alguns parecem entender o propósito da proposta do ministro da Cultura. Mas o certo é que a maior parte dos comentaristas chumbaram a proposta e Mário Lúcio teve que levar com as consequências do seu convite.

 

Recusa

 

O leitor Eduardo Lima deixa um recado ao ministro da Cultura: se Mário Lúcio quer promover a cultura dos Mandingas na cidade da Praia que mande um grupo de interessados a São Vicente para que os Mandingas lhes ensinem os modos dessa tradição. O leitor acrescenta que “só na cabeça do ministro da Cultura é que os Mandingas da Zona Libertada, berço da alma reaccionária de São Vicente iria abandonar o seu povo para ir a outra cidade na época do Carnaval. Podemos sim promover e levar as manifestações culturais, mas sem tentar provocar mossa na origem”.

Por seu lado, Eduardo Brito defende que Mário Lúcio ao querer levar os Mandingas para a cidade da Praia estaria a fomentar o “centralismo patético” que assola Cabo Verde. Brito apoia a decisão dos Mandingas da Ribeira Bote e assegura que “esse grupo não se deixou comprar e mostrou o quanto a nossa cultura não tem preço”.

 

Mário Lúcio não entende de Mandingas

 

Mário Silva escreve que “se o Ministro entendesse a essência dos Mandingas, não faria o convite nesses moldes. A resposta dada pelos Mandigas da Ribera Bote, foi bem clara e espelha a mensagem que São Vicente deixa aos que pensam que estão acima de tudo, apoiando-se nos trabalhos desenvolvidos pelos filhos de São Vicente em proveito próprio. Mesmo que enviem para São Vicente jovens da Praia para estagiarem com os Mandingas, jamais entenderiam a essência que é a alma de São Vicente. Que criem algo próprio e não copiem a alma do povo”.

 

Benefício da dúvida

 

Mas há leitores que se demarcam das críticas escritas pela maioria dos internautas muitos deles que, em anonimato, deixaram o próprio desabafo. Lúcio Vieira e Carlos Silva são exemplos de dois leitores que apelaram aos são vicentinos para interpretarem de forma positiva a proposta do ministro da Cultura.

Lúcio Vieira sublinha que “vamos deixar de bairrismos, porque nós somos um povo apesar de cada ilha ter as suas diferenças, os seus hábitos e costumes. Mário Lúcio pode ter agido com a melhor das suas intenções, ao convidar o grupo Mandiga para actuar na capital. Eu acho que seria mais justo negociar, por exemplo: enviar só alguns elementos do grupo para actuar num determinado período de tempo que seria estipulado pelos Mandigas sem interferir nas actuações do Carnaval em São Vicente”.

A ideia de Mário Vieira é partilhada pelo leitor Carlos Silva que diz acreditar que a proposta do ministro da Cultura foi mal interpretada. “Mesmo se os Mandingas da Ribeira Bote tivessem de ir mostrar a cultura de Mandingas na Praia, S. Vicente não ficaria sem o brilho de desfiles de Mandingas, porque há outros grupos como o da Ribeira Bote que o fazem e bem, dignificando esta cultura e o Carnaval de S. Vicente. Como disse o Lúcio Vieira, temos de partilhar o que de bom temos, como forma de reforçarmos a nossa identidade como Mindelenses no panorama nacional”.

  1. Lucio Vieira só pode ser da Praia, deixar de bairrismo?
    Tudo que é feito em São Vicente é (copiado) e levado para Praia, ainda não levaram o nosso Monte Cara porque não tem rebocador e nem tem maquina fotocopiadora, em Cabo Verde tudo depende da Praia ainda o ministro queria até a nossa Mandinga. Ministro, Ministro isso não se faz é feio

  2. ribeira bote

    até quando os mindelenses vão enxegar um palmo à sua frente??? lamentavel a nossa atitude. no abrí olho k seculo xxi começá diazá.mundo globalizado = mente aberta

  3. AIBU

    O Mario Lucio qui tal bo manda bsca caizim pa leva pa praia.el ta ser um bom andor pa bsot carnaval.dvera dvera ja gente ca sabê o quiê ques crê pa tra de soncente. porra bsot panha ess ilha bsot fundial assim ja ca ta falob mas na el.

  4. Julio Goto

    …talves esse homem e membro do grupo pro Praia cuja funcao e travar o desenvolvimento de S.Vicente.
    Homenagem a Cise foi desviada para S.Antao.
    Conferencia sobre o Carnaval para S.nicolau
    Homenagem aos Claridoses na Praia
    O Mindelact em vias de transformar se em Praiaact.
    Ate plurim de verdura tem embalode um data de one ta spera barco pa Praia.
    Combate ja esses fantasmas. Esse gajo devia dar uma explicacao a NACAO.

  5. Nadia Lopes

    Sr Ministro deve estod e num bocod gozzzzzzzzzo el k t nem t tma fe, dikianada es t pedi nos p sei deli p no bai mora n praia, jas t costumod mod tud cosa e la por isso. Mendinga fase bem de ter recusod, cada macaco n de galho, mesmo kes manda jovens bem estagia li ma nos, es k t pode fazel sab sabim pq es cosa nos e k t amanda li!!

  6. T.L.

    Precisam mais é de criar vergonha na cara. Ja nåo da nem para disfarçar a intensåo de roubar tudo o que de bom temos em S.V. Podem até tentar, mas nunca våo conseguir, porque a vivencia do povo de såo vicente estå no sangue, assim como a falta de criatividade e originalidade deles.

  7. Dra. Gilda Santos

    GREVE GERAL

    Para quando uma manifestação e greve geral em toda a Cidade e Município de Santa Maria, para obligar os politicos a respeitar e cumprir com os seus deveres politicos e profissionais, e pôr fim às imoralidades eleitorais? Uma greve geral teria um tremendo impacto socio-económico e político. Esta é a última e a maior arma a usar contra o governo colonial e explorador da Praia, e contra os politicos parasitários de Cabo Verde, em geral. Esta arma é mais forte que a própria pólvora. Seríamos capaz de conseguir tudo e mais alguma coisa. A decisão do nosso destino, está nas nossas próprias mãos. Já não podemos desculpar-nos mais. É a hora de Santa Maria ou nunca mais Santa Maria!

    O Paigc/cv do passado mais os políticos bairristas de meia tijela, do Espargo, não conseguiram criar o Município de Espargo, por incompetência. Foi por isso que roubaram e roubam o nosso direito e desenvolvimento – ainda roubam o nosso direito de história e de futuro, todos os dias.

    Viva o Município de Santa Maria. UNIDOS JAMAIS SEREMOS VENCIDOS!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.