Jovens Quadros denunciam: sabemos de alunos que estavam na Universidade de Coimbra e antes de voltarem já tinham trabalho

25/01/2013 01:07 - Modificado em 25/01/2013 01:07

Os Jovens Quadros de São Vicente estão preocupados com as condições de acesso ao mercado de trabalho e denunciam esquemas pouco claros no preenchimento das vagas.

 

Marise Lopes, um dos membros da comissão considera que “na maior parte dos concursos não recebemos resposta porque antes de lançarem os concursos já têm as pessoas para essas vagas”. Questionada acerca de casos concretos diz que não pode citar nomes “mas que lançam o concurso apenas para preencher o requisito legal, esta é a realidade”.

E diz que sabem de casos de pessoas que estão em determinados cargos e que só agora é que se está a lançar o concurso para o preenchimento”. Mas vai mais longe e afirma: ”sabemos de estudantes que estavam na Universidade de Coimbra e antes de voltarem já tinham trabalho no País”: O NN pediu para localizar as pessoas e serviços e a resposta foi: “não vou citar nomes porque não seria correcto, mas nós todos sabemos e a sociedade sabe. Só que existe o medo de represálias e ninguém quer dar cara”.

Perante esta situação que consideram dramática, os Jovens Quadros dizem que se não houver mudanças “só resta a emigração“.

  1. pólvora

    descobriram a polvora , desde de tempe de caniquinha que as coisas são assim ,poque acham que os filhos das pessoas do arco do poder e ses conjardas estão todos empergados e em situação de triplo emprego

  2. Farta

    Infelizmente meus caros, é assim mesmo! Muitos desses alunos infelizmente, nem tiveram bom desempenho nos seus estudos, mas acabam por conseguir empregos que os com media mais alta não conseguem! Se ao menos estes que conseguem um emprego são os melhores…. Mas não, em alguns casos são os que mais levaram as coisas na brincadeira, mas pk conhecem alguém de algum lugar…! Deve com certeza haver mais transparência no tocante aos concursos de emprego.

  3. Concordo sem reserva com o comentário do Sr. Severino. Acrece, entretanto, que qem se sentir lesado nos seus direitos ou interesses legalmente protegidos, há uma garantia: impugnar contenciosamente o concurso em vez de mandar bitaists ao ar e de falar de barato. Se não têm essa coragem e se se calaram aí que calem pra sempre.

  4. Lela Veneno junior

    Marise Lopes, se bo ca ta crè mentà nomes, anton CALÀ BOCA SUA RIOLENTA!!!

  5. Paulo Barcelos

    Severino, Não sejas , imbecis e incauto. O problema, não é se a Universidade de Coimbra é a melhor, e as instituições do ensino em Cabo Verde menos bons, o problema que está a ser discutido é a corrupção no mercado laboral cabo-verdiano. Se alguns saem das Universidades de Coimbra, Lisboa, Porto, etc, têm emprego garantido sem qualquer concurso, eu pergunto-lhe quantos é que saem das mesmas universidades e não conseguem arranjar um emprego em cv? Porquê que não conseguem arranjar emprego?

  6. Mário Matos

    Na Universidade de Cabo Verde (UNICV) entra-se como docente mediante concurso público. Há uma enorme diferença entre ocorrer a circunstância de um licenciado dar aulas, por condicionalismos de peso, por exemplo, disponibilidade académica no mercado, e a afirmação de que “basta ser licenciado para se dar aulas”, pelo que o recrutamento de licenciados para a docência na UNICV só pode ser excepção. Não sei como se passa nas Universidades privadas mas depreende-se que seja o mesmo.

  7. Nelson Cardoso

    Não deviamos ter medo de denunciar irregularidades e não ficar pelo ” ez dzê, un sabê” porque senão nunca isto vai mudar, se é que queremos que mude.

  8. Janine

    Esses jovens quadros tiveram 1 óptima iniciativa.São Vicente é 1 ilha com mto potencial,os políticos esqueceram-se d nós mas somos muitos os jovens formados com ideias e capazes d contribuir para o desenvolvimento da nossa ilha.o k faltam são as oportunidades, mas s todos juntarmos a esse movimento seremos capazes d mais e melhor.Para 1 país melhor não podemos ter medo d exercer a democracia e denunciar o que está mal quando está mal, denunciaremos a corrupção e mostraremos k não formamos à toa.

  9. Resp: à Farta de 25 de Janeiro de 2013 às 11:07. Também, infelizmente há faculdades que têm bem nome. E isso, também significa dizer que mesmo que a média não seja alta, a verdade é que para concluir a licenciatura é precisao teclar muito, muito….Por outro lado estams a falar de Universidades de centenas de anos de experiência e investigação científica. Daí, com o devido respeito, não comparem a U.Coimbra. Lisboa, Porto ou que seja ao menos(Publica) com a UNICV.pelo amor de Deus.Sejamos honests

  10. Sr. Paulo Barcelos. tudo bem, há falta de transparência quendo deveria haver, pois estamos num país Democrático, é evidente que devem todos concorrer em igualdade de circunstância e de oportunidades…aí meus caros…aguenta quem puder….isso sim é bonito. Mas á verdade é que os próprios júris nem sequer têm a formação académica que têm os concorrente ou seja, não têm formação académica hirárquica(seja que critério for,…antiguidade) para avaliar os jurados..daí a corrupçao começa aí..XD

  11. Arlinda Falcão

    O nosso maior objectivo é mostrar que já é uma realidade em Cabo Verde, o facto de existirem jovens com formação superior e que não conseguem entrar para o mercado de trabalho e não têm nenhuma garantia de quando a situação vai alterar. Sou Mestre em Literatura de Língua Portuguesa pela Universidade de Coimbra com uma média final de 17 valores. Fiz no ano 2011/2012 uma pós graduação. E pergunto o que me falta para ter um trabalho com um contrato a prazo. Falta-me sorte? Conhecer pessoas?

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.