Idosos doentes “devem morrer”

22/01/2013 22:15 - Modificado em 22/01/2013 22:15

O ministro das Finanças do Japão causou esta terça-feira uma enorme polémica ao afirmar que os idosos doentes “devem morrer rapidamente” para poupar dinheiro ao Estado.

 

“Deus queira que não sejam forçados a viver até quando quiserem morrer. O problema não tem solução, a não ser que os deixemos morrer, e depressa”, afirmou Taro Aso durante uma reunião sobre a reforma da Segurança Social.

O ministro, de 72 anos, chamou ainda “entubados” aos doentes que já não se conseguem alimentar sozinhos e acrescentou que o governo “está consciente das despesas de saúde por paciente”.

O Japão tem um dos maiores índices de longevidade do mundo, com mais de 30 milhões de habitantes – um quarto da população – acima dos 60 anos.

 

 

 

cm.pt

  1. fiat lux

    É o que a maioria das pessoas pensa mas não diz porque «não é correto». A vida deve ser mantida enquanto ela assim possa ser considerada. Quando não há esperanças de melhoria, quando a pessoa se encontra num leito vegetando, sem a plena posse das suas faculdades mentais e físicas, porque não morrer? Há pessoas que sofrem imenso vendo seus familiares definhando numa cama, descaracterizando dia pós dia, enquanto eles tb vão morrendo, por terem que manter viva uma pessoa que a vida já negou…

  2. didy

    As palavras ferem mas a logica é correcta, o problema da humanidade ,e pricipalmente dos ocidentais é estarem de tal forma ligados a vida a vida que so de ouvirem a palavra “morte” estremecem. Para qué viver para alem da vida, que sentido tem uma pessoa presa a uma cama eternamente, depois de ter vivido a sua propria vida?
    gora, o que me transtorna e a forma como os políticos transformam avida em mera operação economica!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.